Comportar-se como um animal ao volante é tão português como o fado e o chibanço. Ter ministros a 200 km/h na A1 sem pagar multa, comprar um Audi em 2ª mão, meter um aileron Matias na oficina do bairro e testar o bólide na ponte Vasco da Gama é português. E dizer mal dos outros também. E viva o blogue :)



quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

1008!! fenomenal!





Em primeiro lugar, quero desejar um Feliz Ano Novo de 2008 para todos os viciados deste estaminé, que daqui a pouco vai fazer um aninho, e que já superou as minhas melhores espectativas. Um abraço especial a todos os que partilharam neste espacinho as suas imagens deprimentes do ser português ao volante.

E, já agora, um Feliz Ano de 2008 para os familiares e amigos das 1008 vítimas mortais nas estradas portuguesas em 2007, um número vergonhoso, e que só não percebe como é possível, quem não quer perceber, não é senhores ministros da administração interna e presidentes da câmara dos radares?!nestes 3 dias de Ano Novo, morreram 15 pessoas, o que é mesmo deprimente. Quantos estavam em excesso de velocidade?

Passei o ano novo em Londres, e como tal, fui vendo as notícias pelo Google News. Engraçado, as primeiras notícias eram sempre sobre a contagem de mortos e acidentes nas estradas... o que por um lado é bom, pois ajuda a sensibilizar as pessoas, mas eu gostava de lançar uma acha sobre as diferenças escandalosas que há entre um país desenvolvido (Inglaterra) e um que anda a ficar cada vez menos desenvolvido (Portugal). Um detalhe tão simples, que até chateia, mas que bem que poderia salvar algumas das vítimas deste Ano Novo.

Sabiam que o Metro de Londres não fechou durante a noite de Ano Novo?! Sim, fez quase 40 horas seguidas a funcionar em pleno, sem interrupção. Ah, e claro, houve autocarros durante 24 horas, para todos os pontos de Londres. Juntem isto ao facto de haverem centenas de polícias de pé e a cavalo atentos aos excessos e sempre prestáveis a aconselhar as pessoas a parar de beber e irem para casa, fez com que dezenas de milhares de foliões, incluindo alguns milhares de embriagados, pudessem ir para casa calmamente sem recorrerem o carro! Paa quê, se havia transporte a toda a hora e gratuito?! (sim, não se pagava nessa noite!) Apesar do número recorde de chamadas de ambulâncias, mesmo superando os festejos do Milénio, só ouvi notícias deste acidente, vitimando 3 adolescentes embriagados. Excelente resultado para uma capital com milhões de pessoas, e de gajos que não são nada meiguinhos na hora de virar loiras!

E em Portugal, como foi? O metro de Lisboa esteve aberto toda a noite? Havia autocarros toda a noite? A polícia esteve a acompanhar as pessoas a beber, e a aconselhá-los? Ou, pelo contrário, o metro esteve fechado durante a noite, obrigando as pessoas a recorrer aos carros, para depois no final da noite, apanharem uma operação STOP cuidadosamente montada pela PSP, para que não escape nenhum bêbado, e gerarem a melhor receita da noite?!

Pelo que li lá nos jornais, até o Zé Diogo Quintela foi apanhado na operação! Será que foi do licor Beirão?! Seja como for, toca a fazer trabalho comunitário, pois como não é do Benfica, quanto mais jogador do Benfica como o Luisão, não tens malta que te safe!!

10 comentários:

Paulo disse...

O JDQ "safou-se" com 400€ de "contribuição" para a APPC, "não se sabe" se será condenado a trabalho comunitário (o Luisão alguma vez cumpriu ?)... mas manteve a carta.

Há 2 anos atrás fui apanhado na mesma noite (passagem de ano) com 0,96, "inchei" com 500€ e estou à espera da cartinha pra ficar com inibição de condução de 2 meses a 2 anos ...

Há coisas fantásticas, não há ?

Coiso disse...

Feliz 2008 e essas merdas.
No dia 1 de Janeiro fui para casa a pé, como tal não fui mandado parar em nenhuma operação STOP e não fui multado. Mas sim, vi a operação STOP. E não, não vi polícias a aconselharem as pessoas. Tendo em conta que somos portugueses, àquela hora os polícias que não estivessem nas operações STOP também deveriam necessitar de aconselhamento.

Nheknhekl disse...

ESCANDALOSO!! Uma vergonha não estarem em funcionamento transportes publicos que assegurem a deslocação de grandes volumes de pessoas como é nestas alturas.
Realmente devem pensar que são as operações STOP que vão salvar vidas...Podem apanhar uma percentagem minima de "prevaricadores" os outros escapam a essas operações STOP pois o "Pescador pode ser muito bom mas nunca consegue apanhar os peixes todos, e muito menos apanha os grandes com facilidade".
Muitos conduziram embriagados porque nao tinhas alternativas no transporte... uma vergonha e um convite á tragedia que os nossos governantes nos dão!

Jota disse...

Boas noites e um bom ano para todos os viciados neste blogue.
...Vamos lá por partes:
-Quando se fala e se escreve da caça à multa que a Policia faz aos automobilistas, deveriam mudar algumas palavras e dizer: "A caça à multa que os agentes da Autoridade são obrigados a fazer aos automobilistas por fins meramente politicos..." Não culpem os Policias que, e tal como todos nós que trabalhamos, são obrigados a fazer o que nos/lhes mandam!!!
-1007 mortes nas estradas. atenção que as estatísticas mencionam apenas os óbitos no local. Se lhes juntarmos os que falecam algumas horas ou dias posteriores causados pelos acidentes..., o numero aumenta! Já agora vamos igualmente contabilizar os que ficam em cadeiras de rodas, bengalas, canadianas, a fazer fisioterapia de algum modo...
Para quando estes numeros começarem a fazer parte das estatísticas?
...Para nunca! Não interessa! Iria provar a total incapacidade e incompetencia do Governo em tal matéria (já para não falar em outras...) - se 1007 já são muitos e o Incompetente que dá pelo nome de Ministro enrola o discurso e foge ao assunto!!!...
-Metros e autocarros a funcionar 24 horas/dia neste periodo. Inconcebivel! Sai mais barato ao Estado pagar aos Policias que sempre arrecadam uns cobres para os cofres do Estado que desembolsar horas extras aos funcionários dos transportes Publicos!
-Cartas por pontos! ...pois! Não deve dar o lucro que se espera! Há anos que oiço falar deste assunto...
Pensem nestas e noutras opiniões e se quiserem escrevam. Não é que se mude algo no governo mas pelo menos sempre libertamos o que temos cá dentro!

Anónimo disse...

Eu não me posso queixar de transportes. O metro do Porto andou toda a noite e por isso deixei o carro em casa

F. Penim Redondo disse...

Em 2006 Portugal foi 13º na Europa em número de mortos por milhão de habitantes.

Não há muito mais indicadores em que Portugal consiga ser o 13º da Europa.

Muitas dessas "mortes na estrada" resultam de factores alheios à condução como a doença súbita do foro cardíaco, da epilepsia, ou de acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Então porquê tanta histeria à volta da sinistralidade rodoviária ?

Haja calma...

Ricardo Almeida disse...

Não deveremos esquecer que não deve haver muita gente que queira passar o Ano Novo a trabalhar...

Sim senhor, é muito bonito as outras pessoas estarem disponíveis para trabalhar quando outras estão embriagadas...

Haja juízo!!!

McBrain disse...

Não te queixes... estou na Arábia Saudita, onde morreram por dia na estrada 16 pessoas... Brrrr.. mas também se visses como eles conduzem... :-|

McBrain disse...

Para quem quiser ver o estudo sobre sinistralidade no Médio Oriente, podem verificar aqui

n disse...

Caro F. Penim Redondo,

Os indicadores nacionais são contabilizados tendo apenas em conta o estado em que o acidentado se encontra no momento em que a autoridade regista a ocorrência.

Deste modo, e tal como já foi referido, há inúmeros acidentados que falecem na sequência dos acidentes, ou até a caminho do hospital, que nunca serão contabilizados como falecimentos.

A fazer contas assim, também eu!...

Uma outra nota...

Aprecio a calma, acho que todos devemos ter calma, e penso que decisões tomadas sem calma raramente são as mais correctas.

No entanto, quando diz "Haja calma", não consigo perceber como é que é possível haver calma, quando no ano passado houve mais de 1.008 pessoas a morrer na estrada, mais de 1.008 pais que perderam um filho, mais de 1.008 mulheres que perderam o marido, mais de 1.008 crianças que ficaram sem um pai.

E agora uma nota para a discussão...

Um número ganha sempre o seu verdadeiro impacto quando se coloca à frente aquilo que efectivamente representa.

1.008 choca? Não?
Então experimentem dizer apenas 1.
1 Pai.
Ou 1 Mãe.
O vosso Pai.
Ou a vossa Mãe.

Feliz ano, com poucos aceleras, poucos faroleiros, poucos "cheira-cús" da auto-estrada, e por aí fora...


who's online
eXTReMe Tracker
THE BOBs
Humor blogs
Top Blogs
BloGalaxia
Coches ES

MyFavatar