Comportar-se como um animal ao volante é tão português como o fado e o chibanço. Ter ministros a 200 km/h na A1 sem pagar multa, comprar um Audi em 2ª mão, meter um aileron Matias na oficina do bairro e testar o bólide na ponte Vasco da Gama é português. E dizer mal dos outros também. E viva o blogue :)



domingo, 28 de outubro de 2007

Estacionamentos especiais para mulheres, no shopping 8ª avenida em S. João da Madeira!!






Ora vamos mudar de tema para resfriar os ânimos dos cyber-adeptos do tuning, e pisar os calos aos arquitectos e gestores do shopping 8.ª Avenida, inaugurado, há um mês, em S. João da Madeira. Segundo esta reportagem do JN, este shopping tem lugares de estacionamento especiais para mulheres, mais largos Devo realçar que o JN foi até agora o único a publicar tal vergonha, o que reforça a minha preferência por tal diário! Já o shopping 8ª Avenida, que é o pioneiro nestes lugarzinhos cor-de-rosa, dificilmente vai recolher a minha preferência, depois de ler o que li hoje!!

As imagens aqui do lado referem-se ao destaque da capa do JN, e à respectiva notícia no interior (desculpem a qualidade das mesmas). A notícia pode ser lida aqui na íntegra, mas fica aqui as partes mais apetitosas: em primeiro lugar, estes 4 lugares, num universo de 1400 lugares, são mais largos do que os "normais" e até mais largos do que os lugares reservados para deficientes, idosos e grávidas. Em segundo, a justificação por parte dos responsáveis do shopping abranje belos adjectivos eufenísticos, tipo "gentileza", ou vontade de fazer com que as senhoras "se sintam bem" no shopping.

Visionários? Energúmenos? Machistas? Artistas? Ou incompreendidos? Mmmm, eu cá prefiro uma classificação ligeiramente mais objectiva: ESTÚPIDOS! E, já que estamos em regimes de inovações e experiências, porque não meter lugares específicos para loiras, ruivas e morenas, pintados nas respectivas cores, e com as respectivas proporções optimizadas através de um estudo empírico? E, já agora, que tal meter lugares especiais para portistas e benfiquistas, gordos e palitos à Bruno Nogueira, carecas e malta à Tony Ramos? Já que falamos por discriminação pelo sexo, e que tal meter lugarzinhos para bicharocos, indecisos, lésbicas ou outros seres difíceis de classificar, tipo José Castelo Branco?! Ficava o chão do parque de estacionamento às corzinhas, até podiam mandar a tacada à Bennetton para um patrociniozito...

Os projectos de parques de estacionamento em Portugal é do mais asqueroso e nojecto que já vi! Em primeiro lugar, muitos deles possuem as placas de proibição de entrada a GPL, quando essas placas são ilegais pois não são homologadas pela DGV! Ou seja, não proibem nada! E, segundo a lei, os veículos a GPL podem circular legalmente nos parques de estacionamento de um shopping! Mas não podem estacionar, sabiam? Podem entrar e circular, mas não podem estacionar. Já viram um gajo às voltas no parque? É um GPLista à espera que a mulher se decida pelos sapatos brancos ou vermelhos! Confuso?! Então fique a saber que, com tais leis obsoletas e shoppings estúpidos, os GPListas prferem esquecer-se de colar o dístico e meter o carro no parque! E eu sou um deles, com muito orgulho!

Sabiam que, lá fora, não há restrições aos carros a GPL em termos de estacionamento em parques de shopping? Porque já se pecebeu que os kits GPL de hoje são muito mais evoluídos e seguros do que em 1991, quando essa lei entrou em vigor em Portugal. Ou seja, para 16 anos de evolução tecnológica, 0 anos de evolução legislativa! Ah, e enquanto os parques de shoppings decentes são projectados a pensar na circulação natural de ar, até por causa da poluição de carros a gasolina e gasóleo, temos que os parques de shoppings novos continuam a ser fechados, claustrofóbicos, sem ventilação natural ou artificial e sempre com a plaquinha da moda, que é a proibição de entrada a GPL! (O Rio Sul é uma honrosa expecção). Agora, pelos vistos, os arquitectos lembraram-se de mais uma aberração, infrigindo uma lei básica da Constituição Portuguesa, que é a proibição de discriminação por sexo.

Ó malta do shopping aí da 8ª avenida, não se preocupem com as habilidades das mulheres ao volante, que isso é irelevante! Lá porque a mulher do patrão arranhou-lhe o BMW, isso não quer dizer que todas sejam assim! Preocupem-se é em zelar para que os lugares para gŕavidas e deficientes são mesmo usados por tais clientes, e não por grávidos Super-Bock e deficientes da cabeça!! Preocupem-se é em evoluir, como o GPL fez e a Lei portuguesa já fez! Preocupem-se é em não cair no ridículo, com atitudes estúpidas como esta!

English Version, for BOBs people
There is a place in Portugal, called St. Jonh of the Wood, that has a shopping with special pink park places specially for woman. No, not pregnant; just plain woman! No, I believe in Portugal, women are nor better nor worse than men at the steering wheel, but perhaps the wife of the manager of this shopping centre made a scratch on his BMW... Well, look on the bright side of this... er, no, forget it. It is shameful, I know. Just go to Allgarve, they do not have such malls there.

24 comentários:

andre modesto disse...

LOOOOOL quando pensava que nao ia ficar surpreendido, fiquei! LOOOL

Torre disse...

Isto só mesmo neste país... Gentileza, dizem eles, discriminação, digo eu. Positiva e negativa!
Mas aparentemente há senhoras que não se importam, um dos lugares estava ocupado... Se calhar não tem bem a consciência... Ou então gosta, lá está, isto pode ser visto de diversas perspectivas, mas a minha, não é a melhor...
Quanto às mulheres serem melhores ou piores condutoras, não me pronuncio, mas só posso dizer que conheço muitas que guiam melhor que eu!
E se outras são piores, são melhores em outras coisas, e piores noutras ainda... Temos especificidades ou competências naturais das quais não nos podemos descartar, e por isso, cada qual dá o que tem, e a mais não é obrigado! Mas os lugares, são uma aberração, disso ninguém tenha dúvidas.

Coiso disse...

Pela primeira vez mostrei um artigo daqui à minha mãe (primeiro tive que lhe explicar o que é um blog) e diga-se que ela não ficou muito satisfeita com esta notícia. Mas gostou de saber que há um centro comercial novo em São João da Madeira.

Anónimo disse...

Epa isto é mentira de dia 1 de Abril ou que? FDx é possivel isto? Onde chega a estupidez e eu a pensar ke so haviam cenas destas na terra do Bush

sardinarius@hotmail.com disse...

Isto é apenas a junção de dois ditos populares "mulheres ao volante, perigo constante" + "Mais vale prevenir, que remediar"... acho que é sensata a medida :)

Vigoras disse...

Portugueses ao volante,

Obrigado pela visita ao meu blog. Com efeito, o que o JN fez agora, já eu tinha feito há quase um mês atrás, mas o meu blog não tem a tiragem do JN.

De qualquer maneira, nem tudo é mau no estacionamento do 8ª Avenida. Os lugares de estacionamento do piso -2, onde estaciono quando lá vou, são arejados, dado que a fachada para poente é aberta. Por outro lado, deve ser dos poucos que também tem estacionamento para viaturas movidas a GPL, embora este lugares fiquem um pouco marginalizados. Trata-se de um parque +/- fechado (pertença do shopping) ao ar livre.

Lobanense disse...

Moro nos arredores de S. João da Madeira e acreditam que quando fui a este shopping "8ª Avenida" não percebi para que serviam estes estacionamentos com a figura de uma mulher desenhada no chão? É absurdo que sejam só para mulheres! Isso é discriminação e esta está proibida na constituição! Por isso, quando lá for, se estiver vago, estacionarei lá!
Relativamente à proibição de estacionar veículos a GPL em parques subterrâneos... é o absurdo nº2! Quando se vai à vizinha Espanha, não existe essa proibição nem a parvoice do "autocolante azul" a diferenciar carro a GPL dos outros. Porque se faz isso em Portugal? Depois é como disse, basta retirar o autocolante que o problema fica resolvido! Até existe aquela chapinha que se tira e mete conforme a necessidade! ;-)

Português ao volante disse...

Lobanense, é precisamente esse o meu tipo de dístico! :) Magnético. Tiro e ponho quando quero. E ando com ele colado quase sempre, só o tiro para evitar problemas nos parques.

Sim, é a minha ilegalidade favorita. Mas para uma lei estúpida...

Anagost disse...

Isto é uma afronta!
Como mulher sinto-me ofendida! E ainda por cima moro nos arredores de S. João da Madeira!!!!!!
Confesso que não sabia desta "gentileza", mas é de muito mau gosto. Se é que chamar "burra" é uma atitude de gentileza...
Realmente, cada vez tenho mais vergonha do país que temos!

André Carvalho disse...

Tudo isto não podia vir em melhor altura...

2007 é nada mais nada menos que o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos.

(vide http://www.igualdades2007.com.pt/)

Bela forma de comemorar hein?

Luar disse...

As mulheres entrevistadas não deviam estar bem do juízo.. Achar normal por causa dos sacos?? Mas elas estacionam de ladecos?? Eu até fiquei verdinha!!! Nunca mais lá punha as rodinhas do automóvel. É discriminação.
Mas infelizmente a culpa é de mulheres como aquelas que acham normalllll. Já agora cartas de condução cor-de-rosa não gostavam???!!!
Que tal uns lugares para os condutores de chapéu ou boné e outros para os maníacos da bola?!!!

Anónimo disse...

Aos senhores que acham que os veículos movidos a GPL, devem utilizar os parques fechados, é experimentarem fecharem-se dentro de uma garagem com o carro a trabalhar durante 5 minutos e depois venham aqui contar a experiência. Devem de pensar que foram os portugueses a condicionar a utilização dos veiculos movidos a GPL.

Português ao volante disse...

Ó anónimo, tu realmente... já agora, se o carro for a gasolina ou a gasóleo, sai o quê do tubo de escape? Rosas?!

Anónimo disse...

tinha que comentar isto tente fechar se os tais 5 minutos com um carro a gasoleo ou gasolina e provavelmente já não vai conseguir dizer aqui o resultado......
isto do gpl proibido nos parques ja devia ser abolido ha muito tempo.

Andre Morais disse...

Concordo com muita coisa que se diz neste blog e confesso que já dei boas gargalhadas ao ver algumas das situações que aqui são mostradas. No entanto, ao vir aqui dar uma olhadela depois de estar algum tempo sem cá vir, senti necessidade de fazer um comentário.
A razão da proibição dos carros movidos a GPL em parques subterrâneos é o facto deste gás ser mais denso que o ar, logo deposita-se de baixo para cima. No estrangeiro não existe esta proibição porque na maioria dos países não é comercializado o GPL (gás de petróleo liquefeito), mas sim o CNG (compressed natural gas) que é menos denso que o ar, concentrando-se de cima para baixo, sendo assim aspirado pelo sistema de extracção e mais facilmente detectável. Ao não colocar o dístico no seu carro, só vai fazer com que no caso de fuga seja quase impossível detectar o veículo onde esta tem origem.

Português ao volante disse...

André Morais,

Acho que há muitos países onde o GPL-Auto
é efectivamente o CNG, mas também é a tal mistura de propano e butano, mais pesado que o ar.

Mas deixa-me que te diga que isso é uma falsa questão, pois os sistemas GPL hoje são muito seguros! Digo-te que as botijas que temos em nossas casas são em menos seguras do que um kit GPL e, no entanto, não deixas de andar pela cozinha.

E o perigo de um carro normal, com o seu depósito de gasolina fino e vulnerável estar a verter combustível e alguém lançar uma beata no chão do parque, deve ser tão ínfimo como uma largada esponânea de gás GPL do meu carro. Este foi instalado por um instalador credenciado, e um kit dos mais modernos.

Ah, e também estava na altura de os parques serem bem mais decentes. Aceito o que dizes, mas o cenário não é assim tão mau :)

JoseMartins disse...

Enquanto leitor atento desta publicação, fico com algum receio que o autor deste blog tenha confirmado o ditado que no melhor pano cai a nódoa, ao introduzir no seu texto uma incorrecção, relativamente ao enquadramento legal do GPL, e uma incoerência lógica que, como pessoa que se advoga apologista da racionalidade na discussão dos assuntos sobre os quais se debruça, gostava que explicasse.
Começando pela incorrecção, o DL que regula a adaptação e utilização de GPL em automóveis ligeiros não é de 1991, como erradamente indica. O diploma de 1991 (DL 195/91) foi revogado em 2006 através do DL 136/2006 (de 26 de Julho), que passou a partir da sua entrada em vigor a regulamentar o que antes era regulamentado pelo DL 195/91.
Quanto à incoerência lógica, gostava que me explicasse como alguém que condena o tunning não só numa perspectiva estética mas essencialmente por ser uma atitude violadora da lei, refere agora de forma veemente que “os GPListas preferem esquecer-se de colar o dístico e meter o carro no parque! E eu sou um deles, com muito orgulho!”? Então se o senhor acha (e bem) que os tunners (quer façam tunning, xuning ou sejam simplesmente azeiteiros) devem ser todos punidos ou reprovar nos IPOs se estiverem a violar a lei (vamos deixar a questão estética ao gosto de cada um, apesar de eu não ser grande adepto de se andar na rua num carro verde-alface com os vidros pretos, cheio de cromados, que me oferece a possibilidade de escutar os seus 150.000 watts de potencia de som…), qual é o seu argumento para que no seu caso particular seja aberta uma excepção? É porque na sua opinião técnica a lei é estúpida? E será que podemos infringir qualquer lei quando achamos que ela é estúpida? Ou será porque mandou instalar “um kit dos mais modernos”?
Também não compreendeu porque motivo é que pode circular mas não estacionar num parque coberto sem ventilação natural, ou abaixo do nível do solo? Também não percebi a questão da comparação com o depósito a verter gasolina, uma vez que provavelmente também sabe certamente que são mais perigosos os vapores do combustível do que o combustível líquido em si mesmo, em termos de produção da reacção de ignição (trocando isto por miúdos, o combustível arde depois de incendiado, mas a ignição produz-se nos vapores misturados com o ar). Ora se o senhor aceitar como verdadeira a hipótese que lhe apresento, então tendo em conta que o GPL é um gás (equivalente ao vapor da gasolina), então não será difícil concluir que o seu potencial de ignição é superior ao da gasolina (nem sequer vou falar no gasóleo… se quiser saber porquê, pesquise um pouco).
Ora como alguém já explicou, o facto do GPL ser mais denso que o ar leva a que em caso de fuga ele se deposite por baixo do carro, o que leva a que, no mesmo exemplo da beata, se torne mais perigoso.
Embora concorde consigo na questão do dístico (considero dispensável), agradeço que fundamente devidamente a sua conduta no caso dos parques fechados. Caso contrário terei que o apelidar de irresponsável.

Português ao volante disse...

Viva JoseMartins,

Em primeiro lugar, deixe-me que diga que o seu comentário é precisamente o meu tipo favorito de comentários, e tiro o chapéu por isso.

Ora vamos por partes: sei perfeitamente que o DL original de 1991 foi revisto em 2006, do qual tenho até uma cópia guardada no carro. E que alterações relevantes, teve zero; ou seja, uma revisão que devia acompanhar a evolução dos kits GPL desde 1991, mas que não fez nada disso. Mas não deixa de ser curioso que esse mesmo DL AUTORIZA os carros GPL a entrarem em parques de estacionamento, mas que não podem estacionar. Ou seja, é perfeitamente legal um carro GPL entrar e circular lá; isso torna-o menos perigoso? Qual é a explicação lógica? E, se é assim tão perigoso, porque é que os sinais a proibir a entrada a carros GPL não estão homologados pela DGV?

A minha pergunta é como é que, nos outros países europeus, eu, com o mesmo kit, o mesmo gás mistura propano-butano sou autorizado a estacionar em tais parques! Porque é que em Portugal sou irresponsável, mas em Inglaterra, até tenho descontos em parques por ser LPG, pois sou "menos inimigo" do ambiente?

Não me considero irresponsável por causa disso, e por causa do que acabei de justificar. Embora não seja desculpa, iria ficar escandalizado com a quantidade de carros GPL que estacionam em parques sem dístico, e com kits bem menos seguros. MAs já agora, porque é que todos os parques são fechados e claustrfóbicos? Não acha que os arquitectos também não deviam ter uma quota parte de responsabilidades?

Quanto ao risco, em termos relativos concordo consigo; emn termos ABSOLUTOS, todos os riscos são ínfimos. Acho bem mais crítico os fumos que certos carros a gasóleo debitam em parques mal ventilados!

Fico então entregue ao seu veredicto. Não sou ninguém num pedestal a chamar de burro todos os outros; sou mais um português ao volante, ok? :)

JoseMartins disse...

Entendo o ponto de vista, embora continue sem concordar.
Vejamos se consigo tocar todas as questões, embora de forma resumida:
1. Porque motivo pode circular mas não estacionar: imagino que o motivo se prenda com o facto da deslocação de ar provocada pelo movimento do seu carro leve a que o gás, mesmo em caso de fuga, se propague no ar e acabe por ser conduzido ao sistema de regeneração de ar do parque, sendo expelido para o exterior, enquanto se estiver estacionado a maior parte do gás proveniente da fuga irá concentrar-se debaixo do carro;
2. Porque é que os sinais a proibir a entrada a carros GPL não estão homologados pela DGV: não tenho informação que me permita confirmar ou desmentir esta afirmação, embora conhecendo o nosso país consiga perfeitamente aceitá-la como verdadeira e justificá-la como sendo mais uma medida implementada “à portuguesa”. De qualquer forma, a não homologação do sinal é uma mera formalidade inconsequente para a questão da segurança;
3. Como é que, nos outros países europeus, com o mesmo kit e o mesmo gás de mistura propano-butano é permitido estacionar em tais parques: tal não é forçosamente verdade. Como sabe, uma lei parecida com a portuguesa (que proíbe o estacionamento de GPL em parques cobertos) foi recentemente aprovada na Suíça. Em Inglaterra (o seu exemplo), a questão não foi até agora um problema porque o número de veículos GPL ainda é reduzido (aproximadamente 100.000 segundo os dados que recolhi) e os parques são na sua muitas vezes above-groud e ventilados com circulação de ar natural. É verdade que actualmente os veículos GPL têm inclusivamente vantagens nas tarifas de estacionamento mas como o número deste tipo de veículos está a aumentar a um ritmo rápido, o governo está neste momento a repensar a questão, não só em termos de criação de medidas semelhantes às nossas para os parques (actuais) do mesmo tipo como também em termos de novas regras construtivas para parques futuros adaptados a GPL (o estudo em causa é o Fire Safety Framework Agreement for Building Regulations Research Programme). Assim, não me parece que estejamos ainda numa situação em que possamos dizer que os técnicos que aconselharam a proibição de estacionamento em parques fechados sejam incompetentes;
4. Porque é que todos os parques são fechados e claustrfóbicos: isso é, infelizmente, mais uma questão “à portuguesa”, mas mais uma vez pouca ou nenhuma relação tem com a questão da segurança do GPL em parques fechados, uma vez que o que se pretende saber é se os métodos actuais de regeneração de ar em sistemas de ar forçado como os disponíveis para os parques de estacionamento são ou não capazes de conseguir extrair eficientemente os gazes combustíveis em caso de fuga e se existem métodos de detecção eficazes que possam ser aplicados. Estou inteiramente de acordo que caso existam sistemas que permitam de forma eficaz detectar a existência de uma fuga e regenerar o ar perigoso, então deveria existir uma entidade certificadora que aprovasse os parques para GPL e nesses os veículos poderiam estacionar. Contudo, na ausência de consenso, o legislador está a aplicar a postura conservadora que é expectável, tendo em conta que se está a tratar da segurança de pessoas e bens.
5. Em termos ABSOLUTOS, todos os riscos são ínfimos: mais uma vez não me parece que esteja a ser totalmente correcto, uma vez que no meu entender é necessário separar duas realidades: (I) os parques de estacionamento públicos e (II) as garagens dos prédios. No primeiro caso admito que o risco possa ser baixo em termos absolutos, dado ser necessária a conjugação de uma série de factores dificilmente verificáveis em simultâneo (a fuga, um tempo de estacionamento que permitisse o acumular de gás suficiente para provocar a explosão e a ausência de circulação de ar) mas no segundo caso parece-me que claramente que estamos a falar de um risco elevado, uma vez que por exemplo durante a noite o carro está estacionado no mesmo lugar, o movimento de veículos nas proximidades é reduzido e em caso de fuga o simples accionar da luz da garagem pode provocar a explosão;
6. Quantidade de carros GPL que estacionam em parques sem dístico: infelizmente é mais um mau sinal da bela “chico-espertice tuga”. Aos chicos espertos que fazem isto eu peço que tenham por mim o mesmo respeito que eu tenho por eles quando paro nos sinais vermelhos ou de stop mesmo quando não vejo mais nenhum carro num cruzamento

Português ao volante disse...

Volto a ressalvar o fantástico comentário que deixou aqui, José Martins. Deixe-me responder ponto a ponto:

1 - O motivo que levou a que a lei seja assim é, no mínimo, obscuro. Só por isso posso legitimamente pôr em causa se a revisão de 2006 foi realmente uma revisão séria e adequada ao estado da arte em termos de GPL.

2 - Compreendo e aceito o que diz; um sinal não homologado nao é desculpa; mas está claramente a contradizer a tal lei de 2006; repare que o sinal é de TRÂNSITO PROIBIDO, não de ESTACIONAMENTO PROIBIDO.

3 - Remeto-o para este relatório: http://legco.gov.hk/yr00-01/english/panels/ea/papers/ea0703cb1-660-1-e.pdf. Repare que lá diz que em países como o Canaá e a Bélgica, o estacionamento só é vedado para kits SEM um limitador. Ora, o meu tanque tem 48 litros, mas está limitado a 40 litros. Esta margem de segurança é mais que suficiente para aguentar temperaturas de verão. E digo-lhe: se o meu carro NÃO tivesse tal limitador, eu era o primeiro a NÃO estacionar em locais fechados. Mas volto a frisar que percebo bem o seu ponto de vista.

Mais: uma vez, atiraram um tanque de GPL cheio de gás, de um 8º andar. O tanque ficou direitinho; o cimento do passeio, nem por isso.

4 - Como acontece no Odivelas Parque, o parque GPL está bem situado, e como tal, está cheio de carros não-GPL lá. Onde estão os decretos lei que regulamentam os parques de estacionamento comunitários para áreas comerciais? São respeitados?

5 - O risco existe sempre; mas repare que o risco é maior na botija em casa. E repare que nunca ouviu falar de um carro a GPL que tenha feito isso! Eu já procurei várias vezes notícias, e não vejo nada. E as notícias que saem a falar de carros GPL a arder são estúpidas e nada relacionadas com o sistema. E tem que admitir que nunca ouviu falar de um carro a GPL que debitou gás espontaneamente. O kit tem várias válvulas; o meu kit, se tiver que expelir gás numa excepção qualquer, é numa quantidade inofensiva.

6 - É verdade o que diz; só que muito desse "chico-espertismo (e repare, não o quero justificar; apenas compreendê-lo) pode ser visto como uma reacção lógica a muitas coisas mal feitas e acumuladas, que no final prejudicam inutilmente o consumidor final.

Só espero que tenha compreendido que não sou mais um "chico-esperto" e irresponsável a fazer isto, mas até uma pessoa que teve a preocupação de se informar sobre todas as questões técnicas, que sabe como funciona o seu kit, que foi instalado num instalador oficial e certificado, inspeccionado e aprovado sem manhas, que sabe bem o que a lei diz, e que tem a perfeita noção do que faz, OK?

Mas junto-me a si, no que diz respeito a por exemplo, kits commais de 10 anos e sem serem inspeccionados; esses carros são mesmo perigosos; mas, ao mesmo tempo, um carro com gasolina a pingar é igualmente perigoso.

Magucha disse...

Há que reconhecer que a medida serviu para chamar a atenção ao shopping, de uma forma eficiente e mais barata do que fazer anúncios. Quantas pessoas terão lido a notícia e querido ir ver os lugares de estacionamento? E já agora, darem um pulinho às lojas e deixarem lá dinheiro. Se foi essa a intenção capotada, os meus parabéns a quem pensou nela. Se não foi.. Enfim, todos os diabos têm sorte.

Em relação ao estacionamento GPL nos parques subterrâneos ser permitido noutros países europeus, em Itália não é permitido. Nm carros GPL, nem a metano, embora ambos tenham tanques muito mais resistentes e seguros do que os carros a gasolina e gasóleo.

cláudio silva disse...

Boa noite,

Peço imensa desculpa pela invasão no blog, mas descobri esta mensagem sobre o centro comercial de São João da Madeira, e senti-me na necessidade de dar a minha opinião.

Sou sanjoanense (natural da dita cidade de que tanto falam) e fiquei um pouco surpreso com os comentários que li sobre o centro comercial. Na minha sincera opinião não vejo nada de errado nele, muito pelo contrário é um dos espaços comerciais mais modernos e agradáveis de sempre!

Não consigo compreender o porquê de tantos complexos com as casas de banho, os portugueses que adoram ver filmes do género Call Girl criticam uma simples cada de banho devido à decoração?! Como se os manequins estivessem a fazer algo de errado!! Talvez o problema para muitos de vocês seja mesmo esse, não estarem a fazer...deviam, não é?

Os portugueses nunca assistiram a um desfile de moda? Nunca viram uma senhora de lingerie? Então porquê de tanto imbirrar com as casas de banho?

E sim, existem modelos masculinos nas casas de banho das senhoras, vestidos com boxers e slips.

Quanto aos parques de estacionamento, é como diz o velho ditado "preso por ter cão e preso por não ter". O objectivo desses lugares não é gozar com ninguém, muito menos com as mulheres, que do meu ponto de vista são tão óptimas condutoras como os homens.

Os lugares cor de rosa, bem como os azuis, verdes e amarelos, foram criados para estarem ao serviço de pessoas com dificuldades motoras, problemas de saúde, grávidas, etc.

No caso do estacionamento das mulheres foi simplesmente um gesto de carinho que o centro comercial decidiu ter para com as senhoras. Imaginem o que é chegarem ao centro comercial num Domingo, o parque está cheio e vocês não precisam de se preocupar em procurar lugar porque sabem que existe um guardadinho exclusivamente para mulheres. E ainda assim sentem-se ofendidas?!!

Já agora fiquem a saber, que os lugares amarelos são para pessoas com deficiências motoras, os azuis para muulheres grávidas, pessoas com crianças e idosos; os verdes para carros com mais de dois ocupantes; e existem ainda lugares para famílias com grande número de filhos.

Penso que muitos de vocês deveriam pensar um pouco melhor nas vossas ideias, antes de as darem a conhecer ao mundo.

Cumprimentos

Português ao volante disse...

Cláudio,

quando dizes que "(...)muitos de vocês deveriam pensar um pouco melhor nas vossas ideias(...)", sugiro que não comeces logo a cometer o erro de julgar que a tua ideia é mais sensata e melhor que a dos outros! Até porque eu e outros achamos precisamente o contrário, e não é a ofender a inteligência dos outros que vais conseguir vender o teu peixe.

Quanto à desculpa de "carinho" dado pelos administradores, também deves achar que as casas-de-banho para negros no Alabama também são uma atitude de carinho e reconhecimento, não são?

Faz um favor a ti mesmo e não ingiras tudo o que te metem à frente, sê céptico e pensa pela tua cabeça, pois eu gosto de fazer o mesmo. Sim, eu penso bem antes de tomar uma posição. E, neste caso, não abdico dela, acho que isto foi uma manobra de marketing reles, ao aproveitar publicidade negativa para promover o shopping.

Anónimo disse...

nao sou o mesmo anonimo que por aqui andava.

só queria rectificar uma coisa relativamente ao GPL:
Da mesma forma que o nosso governo luta contra os carros eléctricos, tambem tenta dar luta ao GPL...porquê?!É necessário pensar assim tanto? vejam a longo prazo quanto €€ é que o estado nao ganha connosco se utilizar-mos sistemas como o GPL ou os carros electicos...é que a percentagem nos lucros seria muito mas muito inferior.
Claro que inibir os condutores a GPL de puderem estacionar nos locais fechados acabam por fazer as pessoas pensar 2 vezes antes de fazerem esse tipo de investimento... ou porque nao lhes é pratico, ou como eu que no local do meu trabalho só se encontra lugar nos parques subterraneos m honestamente, independentemente se o tipo de gás se propaga de uma forma ou de outra, nao é suposto eles estarem a trabalhar nos subterraneos tanto tempo quanto isso. se assim fosse todos nós batiamos a bota ao entrar nesses parques...

e quanto ao serem perigosos...em caso de acidente, quer quem ande a GPL ou só com um deposito de gasoleo/gasolina debaixo de si trás de qualquer forma uma bomba. mas se fosse para viver-mos sempre amedrontados nunca sairiamos de casa.


who's online
eXTReMe Tracker
THE BOBs
Humor blogs
Top Blogs
BloGalaxia
Coches ES

MyFavatar