Comportar-se como um animal ao volante é tão português como o fado e o chibanço. Ter ministros a 200 km/h na A1 sem pagar multa, comprar um Audi em 2ª mão, meter um aileron Matias na oficina do bairro e testar o bólide na ponte Vasco da Gama é português. E dizer mal dos outros também. E viva o blogue :)



sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Dentro do automóvel, somos todos máquinas de sexo!





Ontem, cheguei a casa ao fim da tarde e fui ter com a minha mulher, onde iniciei a típica conversa que começa por "E que tal, como foi o teu dia?". Ela disse-me que tinha ido à biblioteca municipal, e que durante o caminho (que envolve um trajecto a pé), foi por algumas vezes presenteada com piropos pelos condutores, e que até houve um que encostou à berma, para que o seu piropo fosse mais directo e audível. Logicamente, não gostou nada de cada uma das propostas cobardes que lhe foram enviadas.

Pá, não está em causa os instintos intrínsecos no nosso cromossoma X, que tanto gostamos e que faz com que sejamos capazes de apreciar golos como o do Madjer, e que evitam que nós tenhamos de apanhar uma fila para ir mijar numca casa de banho pública. É natural que, sendo um povo latino (ou pelo menos, consta que é), os portugueses fiquem tão fascinados com um belo exemplar feminino a deambular no passeio, como ficam com uma sande de couratos regada com uma bejeca. Agora, porque é que os portugueses só ganham coragem para emitir tais propostas indecentes quando se encontram protejidos pela jaula em ferro e alumínio que são os nossos carros?

Mais, é chocante a falta de criatividade desses piropos... segundo a minha mulher, ontem a esmagadora maioria desses latinos de trazer por casa escolheram o número 1 das vendas, o "Olá jeitosa". O modus operandi é sempre o mesmo: aproximam-se da vítima, abrem o vidro e reduzem a velocidade. A mensagem é proferida, e o "predador" fica à espera que a "presa" fique impressionada com tamanha demostração de potência e vigor transmitida pela mensagem e pelo bólide que conduz. Em 100% dos casos, passados alguns segundos, o tipo vai-se embora sem sucesso.

Isso, meus amigos, é deveras fascinante! Se eu tiver uma vela acesa e meter lá o dedo, eu queimo-me. Acho que não vale a pena meter lá o dedo uma segunda vez, pois os resultados serão os mesmos: dor!! A isto chama-se o método científico:um determinado acontecimento repete-se sempre da mesma forma, se as condições ambientais forem sempre as mesmas.

Eu nunca vi uma mulher a sucumbir perante tal chamamento viril e sedutor de um trolha na obra, que mandou-lhe um "Oube lá, pareces um helicóptero: Gira e Boa!"... nunca vi uma mulher a correr atrás de um carro, a gritar: "Espera aí, convenveste-me, eu estou pronta, vamos embora para um motel!" depois do predador ter mandado a tal boca da jeitosa... serei eu, ou você, caro leitor, já viu? E, cara leitora, você já sentiu as suas feromonas a controlar o seu hipotálamo e a desejar um coito esporádico e selvagem, depois de ouvir um "papava-te toda" proferido de um camião de 18 rodas?! É o que me parecia.

Como tal, acho que é seguro dizer que tal método não resulta... mas é verdade que há muitos que insistem em que, qualquer dia, vai resultar! Tal como um boletim do Totoloto, qualquer dia sai a sorte grande, mesmo que a evidência empírica científica ainda não tenha descoberto um único caso positivo dentro das 23.245.735 esperiências realizadas. A isto chamo fraca cultura científica. E estupidez, também.

Faz-me lembrar os bons velhos tempos em que andava a tirar a carta, com um instrutor tarado-sexual. Sempre que eu via uma gaja boa no paseio, já pensava para mim mesmo: "prontos, prepara-te pois ele vai mandar-me praticar mais um estacionamento naquele sítio ao pé da gaja!".

6 comentários:

meira disse...

Como dizem os outros! " há coisas deprimnetes não há"

Jedi Master Atomic disse...

LOLOLOLOLOLOLOLOL

Coiso disse...

Sim, deveras fascinante.
Contudo, quem nos diz a nós (pessoas civilizadas, sofisticadas e com extremo bom gosto) que os piropos não cumprem o seu objectivo? Lá porque as nossas mulheres não respondem, e até se sentem incomodadas, não quer dizer que não haja mulheres que se sintam bem por receberem um elogio ocasionalmente, por mais grotesco que seja. Principalmente as menos abençoadas. Eu já vi "senhoras menos bonitas" a sorrirem depois de uma fantástica frase (sobre uma ocorrência que poderia envolver o seu órgão sexual) lançada dos altos de um andaime. Eu acredito que, no fundo, o piropo tem como objectivo aumentar a auto-estima da mulher. Por mais que digam que se sentiram incomodadas e que não gostaram, se o alvo de tal acontecimento foram elas e não a que ia do outro lado da estrada, isso fá-las sentirem-se bem. Até porque há piropos hilariantes e extremamente criativos.

Izzi disse...

Acho que te querias referir ao cromossoma Y...;)

Anónimo disse...

Pois, mas eu já vi o que acontece quando uma rapariga responde...
Certo dia iamos a passar numa obra, eu ia mais atras a mexer no telemovel (ou melhor, a aprecia-la.. sim porque eu tinha uns 15 anos na altura eheh, os ditos trolhas mandaram uma boca e ela respondeu: "ora anda cá abaixo dizer isso! Estou aqui à espera" entre outras coisas que já não me lembro...

Os trolhas? Esses foram para dentro do edifício em construção e ainda ficaram lá por dentro uns bons 15 min...

Ritta disse...

Melhor mesmo foi o que me aconteceu e a uma amiga. Estavamos nós a passar NUMA PASSADEIRA numa das ruas principais de Aveiro, trajadas porque ía haver serenata nesse dia, quando vem um belo dum VW dos anos de 90 e "piquinhos" (daqueles bem velhos, q fazem mais barulho que um tunning de "escape livre") a uns bons 80 km/h. Coisa normal em Portugal dentro das nossas cidades. Mas a "nossa" passadeira ficava A SEGUIR a uma rotunda (que ele também fez a 80) e quando quer parar vemos o carro a derrapar e aos soluçoes, quase batendo em nós QUE ESTAVAMOS NA PASSADEIRA! O Sr começa a "acelerar em seco" , mostrando a sua pujança, ao que a minha colega lhe diz "isto é uma passadeira e está dentro da cidade" ou qualquer coisa do género. O Sr não vai de modos e começa uma algaraviada tremenda ao que nós quase só percebemos "Nem sei o que andam a fazer na universidade!!Deve ser para aprenderem a levar na c*na" ao mesmo tempo que arrancava (outra vez!!) a toda a velocidade... Ouvindo isto, apenas ficamos especadas quase no meio da passadeira a olhar p o carro, porque, definitivamente, nem sabia o que lhe poderiamos dizer!!
Ou entao ainda outra, também nesta fantástica cidade (aquela única em Portugal onde não me atrevo a por um pé na passadeira enquanto o carro não parar ao meu lado!!), de uma senhora que pára para me deixar passar e, em sentido contrário e desrespeitando aquele tracinho contínuo que antecede as passadeiras, vem uma idosa, COMPLETAMENTE AGARRADA E EM CIMA do volante, a abrir e a ultrapassar o carro que estava parado na passadeira!!! Se não fosse a minha colega a puxar-me para trás (porque eu ía a olhar para o outro lado da estrada, claro está!!) a esta hora estava nos anjinhos... Acho que há uma falta de respeito enorme nas nossas estradas, a todos os sentidos, mas principalmente no que toca aos peões!! E, apenas respondendo ao "coiso" NÃO HÁ MULHER ALGUMA que goste de ouvir esses piropos porcos e machistas!! NENHUMA! E se alguma vez nos vir a rir, sabe do que é? É da vossa mediocridade do vosso machismo e sexismo completamente despropositado e infantil... Se ao menos conseguissem controlar as hormonas....


who's online
eXTReMe Tracker
THE BOBs
Humor blogs
Top Blogs
BloGalaxia
Coches ES

MyFavatar